domingo, 1 de maio de 2011

Carpinteiro


É corrente no Brasil e em Portugal ouvir-se estes provérbios: "Pau que nasce torto, até a cinza é torta", "Pau que nasce torto, morre torto", "Pau que nasce torto, nunca se endireita". Mas Jesus cresceu vendo José exercer o ofício de carpinteiro, e dá forma ao que deformado nasceu, pra ficar transformado.

Carpinteiro
Letra: Silvestre Kuhlmann
Música: Marcus Américo

Todos têm a mania de dizer:
“Quem endireitaria
O pau que nasce torto,
Em meio à ramaria?
Melhor se fora um aborto
Lidar com este
É perda de energia”

Mas filho de carpinteiro sou
De José e de Maria;
Tomo a plaina, a serra e corto
Cedo aprendi a artesania
Pego a lima, a régua , o torno;
O que é feio, em belo torno.

Sou Jesus, filho do carpinteiro,
Encho a alma e o corpo inteiro
Dou forma ao que deformado
Nasceu, pra ficar transformado

Quem entrar na carpintaria
Vai dizer: “Quem diria!
Com talhadeira e martelo
Do rude fizeste o belo!”

2 comentários:

  1. Olá! Muito grato por sua atenção, e por ter percebido a mensagem do poema! Grande abraço!

    ResponderExcluir